segunda-feira, março 28, 2011

Do velho radicalismo ou pura rebeldia comum

Talvez ninguém poderá entender essa minha fixação por rock and roll, mas é como eu sempre digo, é ácido consumindo meus ouvidos, coração e sentidos em mínimos detalhes. Sinto-me capaz de realizar qualquer coisa, e ser a pessoa que eu nunca fui, no sentido literal do "não sei se isso é bom ou ruim". Posso garantir, com todas as letras que o estilo corre feito lithium em minhas veias, seja qual for a variação, de heavy ao ska, de uma batida reggae a levadas de iê-iê-iê. É como diz Tom Petty: "Eu estou livre, caindo livremente". É assim como eu me sinto, em uma grande auto estrada onde o céu é o limite, e o pôr do sol uma parada. Só tenho raiva de não ter nascido 35 anos atrás, época de música de verdade e rock puro! E não ter mais meus 15 anos para poder sair porta a fora com o cabelo espetado e com olhos e unhas totalmente escuros, camisa xadrez vermelha, branca ou preta, e meus velhos jeans rasgados, guerrilhando contra as injustiças da sociedade, contra um bem comum ou em colapso comigo mesma. Ah saudade! de quando rock era rock de verdade e de quando se vivia isso de verdade, e não apenas se reproduzia a "moda" e ficava por isso mesmo.
Allyne Araújo   

4 comentários:

Luna Sanchez disse...

Adoro ver gente falando sobre o que gosta, adoro essa paixão escorrendo, Nine!

=D

Um beijo gigante pra ti!

Alline disse...

Nine, agora te vejo melhor. É a moça bonita da foto, que tem o mesmo nome que o meu, que é querida como só ela, que é Nine.

Bom te conhecer.

Beijo!

lua disse...

Adoro...Sempre!!
Dii

Fernand's disse...

música é parte do que somos e sem essa parte, parte da graça não existiria...


=)


bjsmeus