quinta-feira, novembro 17, 2011

“She & He”


Allyne Araújo

Ontem eu estava sob um céu de luzes e no lugar perfeito. Tudo era lindo e de bom gosto, mas enquanto se cantava a paz, eu via a mágoa nos olhos dela; e nos olhos dele, aquele velho ar indiferente. Eu não sabia o que eram contradições, mas ali eu pude ver claramente o que poderiam ser.

Ela não podia simplesmente esquecer as faltas dele, muito menos fechar os olhos para os erros que ele cometera para com ela. Ela não é do tipo que ignora o que arde dentro de si. Só havia algo nele que a incomodava mais do que qualquer falha que ele já cometera ou poderia cometer: o jeito aparentemente frio que ele adorava adotar quando ela mais precisava de calor e compreensão.

E tudo perdeu momentaneamente a graça pelo fato de que o mundo tinha que girar ao redor dele, ela é quem deveria entender isso. Ele apenas fingia que não escutava e que não sabia das coisas que a faziam feliz.

O mundo girar em torno dele não era o principal problema. Ela nunca foi mesmo de exigir papel principal nas raras peças das quais participara. Ela só queria que ele parasse um pouco de fingir não enxergar os seus desejos e que finalmente trabalhasse em prol da realização dos mesmos. Ela nunca pedira demais, e ele sabia disso. Tudo estava ao alcance dele. Bastava que ele engolisse o orgulho, tirasse a capa da indiferença e a abraçasse daquela maneira que ela tanto gostava. Quando ela estava nos braços dele, inexistiam problemas e tudo que não a fazia bem.

“Por que era tão difícil mudar algo? Por que ele era assim? Por que eu exijo tanto de nós dois?” Ela se questionava e investigava em si as causas destes problemas, mal sabendo que ele ainda pensa nela do mesmo modo que antes, que tudo entre eles ainda é completo.

O que ele tem é medo de admitir que está assustado, que as novas mudanças também o afetaram e que este é o único modo pelo qual ele aprendeu a se defender das adversidades que os cercam. É difícil sobreviver a uma crise, porém mais complicado é abrir mão de toda uma série de sentimentos por uma situação mal resolvida.  

Que se sabe que nada mais é do que superficial, pois não se prende ao mundo do coração. Que tudo, por mais grave que seja, quando é realmente importante, sobrevive aos conflitos e às desavenças mais ferrenhas.

P.s: Todo, com exceção do ultimo parágrafo, escrito via sms. 

6 comentários:

Luna Sanchez disse...

Li lá no blog da Erica, benzão, vocês são ótimas!

E via SMS ainda? UAU!

=D

Beijos aos montes em ti.

Dayane Pereira disse...

Vcs são foda! (fodas?)
E via sms? OH MY GOD!
Tão de parabéns!

Erica Ferro disse...

Já disse o quanto amei escrever esse conto contigo, né?
Pois então!

:*

Rebeca Postigo disse...

Falar o que pra essas duas gurias???
Estou encantada com a musicalidade do conto...
Ahhh...
Sem palavras, adorei!!!

Bjs

Ana Seerig disse...

Se acertaram as duas, hein?
Ferro despertou o lado romântico da Lyne. (Ok, só eu que não faço as pessoas mostrarem seu lado meigo, eu sei.)
Não vou comentar o fato de ter sido feito por sms, tudo que digo é: ficou ótimo!

Vanessa disse...

Li esse texto no blog da Erica também e fiquei impressionada por terem feito via sms! Disse lá e repito aqui: deveria virar meme! hahaha Vocês fizeram um ótimo trabalho juntas!