terça-feira, janeiro 14, 2014

O odiado e amado filho de Plutão a sombra de Marte

O amor em seu estado cru, bruto e intenso. As pessoas dizem que tudo é culpa dele – aquele silencioso e tranquilo Escorpião – já que Câncer se preocupa com os apegos frágeis e familiares, enquanto Peixes vaga pelo mundo dos sonhos e mudanças de consciência. Por fim, cravado no peito do gigante Órion esta ele, sendo quem ele precisa ser: o herói ou o mais sórdido dos vilões, repleto de causas injustas e egoístas, transitando entre as camadas do ser e estar. E é hora de começar a se perguntar se você realmente o (re) conhece.

“Ou você morre herói, ou passa a vida vendo você mesmo se tornar o vilão” (O cavaleiro das sombras, Batman, 2008). Em um tipo de código de conduta que nunca se altera, mas que pode ser por vezes explosivo e imparcial, na medida em que segue o brilhante percurso, que se resume a emoções. E se acostumar ao vazio é apenas questão de horas. Afinal, “amor é fraqueza” (Cora, Once Upon a Time, 2011), (..) “e não amar é idiotice” (da onde vem essa?).

Dizem que quando se ama – não importa de quais formas sejam – nos tornamos cegos ao ponto de confiar e duvidar de tudo e de todos, com a desculpa de semear a suspeita. E, com isso espalhar, porta a fora, mais um dos formidáveis frutos do ciúme. E o mundo jamais será como fora antes disto acontecer.

Alianças não são feitas para se desmanchar ao menor sinal de tempestade, não, elas são feitas para resistir e durar o tempo que tiver que durar, até ser rompida pelo fogo doentio da obsessão, essa o elo fraco do que pode ser considerada uma decisão ruim.  Não pergunte para onde ele foi, o porquê atacou, ou o que irá fazer depois. Para falar a verdade, esqueça seu rosto, endereço e números de contato, mas nunca os seus olhos, pois estes são os mais importantes. Bata de frente com ele e terá um inimigo companheiro, fuja e encarre o prazer de ser a caça, ame-o e viverá o céu e o inferno.  “Não me peça para escolher entre o fio ciumento da navalha e o calor do campo de batalha”. (Revolta de Dândis, Engenheiros do Havaí, 1987).

Ele escolheu o seu destino, paixões e perdas, pois só se ama uma vez, como ele costumava dizer. Tão diferente do irmão mais novo, que tudo começa e pouco termina. Não espere para saber da verdade, porque o resto será reflexo daquilo que inconscientemente o cerca, e nada lhe escapará, de modo a funcionar como armas surpresas de uma guerra futura.

Chegará o ponto em que nada lhe dará sentido, assim como tudo lhe será sem cor, sobretudo perderá a fé nas palavras que sempre confiou como verdadeiras e eternas, e esta somente se completará como a primeira de muitas barreiras represadas pelo tempo a se esvair da água em estado sólido.

E para ele todos serão imprestáveis e insignificantes, pois somente aqueles que se foram eram os melhores e o dirá que sempre serão, pelo menos até a hora em que, enfim, encontrar a morte e nada lhe passar de sonho sombrio nas profundezas do tártaro.

“Você se preocupa muito com quem você foi e com quem você será. O ontem é história, o amanhã é um mistério, mas o hoje é uma dádiva. É por isso que se chama presente.” (Kang Fu Panda I, 2008).

 E para ele recomeça o tempo de se perdoar.



P.s: Um pouquinho inspirado no Batman, que pra mim é um dos heróis mais escorpianos que já acompanhei, e a sede de vingança e redenção explorada em algumas séries que me acompanham, bem como voltado a algumas frases pescadas por ai. Lembrando que aqui, eu quis resgatar o lado mais brutal e animalesco do signo, que as pessoas dizem ser o mais selvagem entre todos os 12, entretanto, sem esquecer a capacidade de transmutação em meio a toda a dor que o signo carrega consigo. Pra falar a verdade, eu acho que só em partes essa informação é correta, mas nunca duvidem do exagero em alguns detalhes. E não esqueçam: eu também sou de escorpião, e revestida em aspectos aquarianos, o que alivia um pouco o meu lado letal.

*Imagem do blog: Pensamentos meus.

2 comentários:

Erica Ferro disse...

Ui, lado letal!
Como você é danada! =P

De fato, viver é agora. Relembrar certas coisas e planejar outras é normal, viver disso é que é tolice e perda de tempo.

Não vou comentar sobre a questão dos signos, porque não entendo, por mais que me expliquem. hahaha

Beijo!

Sacudindo Palavras

Rebeca Postigo disse...

Top, top, top...
Mana...
Suas reflexões são show de bola...
Adoro!!!

Bjo, bjo!!!