quarta-feira, fevereiro 15, 2012

Vincent


Garota, apego não é uma palavra existente no meu vocabulário, e você me conhece o suficiente para saber: um dia aqui no outro ali, e assim a vida segue. Você tem consigo as minhas melhores noites de sono, mas isso não é o suficiente para segurar o meu caminho.

Eu sei todas as reclamações que você esta prestes a me dizer, mas esqueça. Em menos de cinco anos você é a vigésima a dizer-me a mesma coisa. Eu sou podre, imprestável e insensível... Ou seja, todas as porcarias que você pensa. Porém, você já sabia de tudo isso quando aceitou minha carona aquele dia no parque... Então, por que chorar agora?

Nós pertencemos a mundos completamente diferentes, quarteirões inimaginados. E isso me assusta e atrai... Mas algo aqui dentro me diz que é hora de continuar. Eu sinto muito por ter destruído seus sonhos de família perfeita e horários para tudo... Não pense que comigo será diferente, pois por um tempo ficarei sem ver o pôr-do-sol, e você entende o quanto isso significa para mim.

Você sempre me dizia que eu era legal demais para manter-me preso... Bom, é da minha natureza. Já esta tarde e mais uma vez tenho que caçar estrelas. Deixo meus melhores discos de presente pra você, mas lembre-se de queimá-los depois.

Até logo, e se cuide! Fique bem.
Como sempre, Vincent.
     
p.S: Caras perfeitos não existem.

Plano de fundo:

5 comentários:

Erica Ferro disse...

Apaixonei-me por esse Vincente. E agora, como lidarei com isso? HAHAHAHAHA

Sério, eu gosto de pessoas assim, com essa necessidade de liberdade, com essa coisa de "ninguém me prende", por mais que isso possa me magoar de alguma forma. É, eu acho que me envolveria com Vincent, me lascaria porque ele obviamente iria embora, mas nunca esqueceria dele por ser tão... atraente. =)

Gostei do conto, Allyne!
Gosto um bocado dos seus escritos. ;)

Ana Seerig disse...

Adoreei!

Não sei se me reconheci nesse Vincent ou se ele me lembrou alguém, mas o fato é que eu o entendi perfeitamente!

Lindo, Lyne!

Tita disse...

Muito bom!
Pois é, acho que não sinto atração pelos Vincents da vida.
Talvez por eu mesma ser tão apaixonada pela liberdade e pelas mudanças, gosto de homens mais "estáveis"... nada mais tentador que um "bom menino" ;)

Babi Farias disse...

Quem desfruta de tal liberdade, acaba deixando vários corações feridos. Carrega a ambiguidade de ser apaixonante e desapegado do amor. Não suportaria ser uma vítima desse Vincent! Ótimo carta-conto, Lyne. E adorei a escolha da música. Imaginei-o pela estrada, fato.

Beijo.

Suzi C.L. disse...

SO TRUE
Caras perfeitos não existem [isso serve para mulheres também]. mas, é isso aí, a gente tem que aprender a aceitar os outros com os defeitos =s
Blog Abstrações | Tumblr pessoal